PT   EN
Logo Thing main logo

CONTRIBUTO DOS DISTRIBUIDORES


 
 

Economia Nacional

O setor da distribuição é um setor moderno, promotor da economia nacional e de um constante investimento em capital humano diferenciado.

Compromisso para a Sustentabilidade e o Desenvolvimento do SNS

O Ministério da Saúde, representado pelo Ministro da Saúde, e os vários stakeholders da Saúde, entre os quais os Distribuidores Grossistas, acordaram a necessidade de assegurar a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, visando a promoção da prevenção da doença, a melhoria do acesso à inovação e aos produtos e tecnologias mais adequadas no combate à doença, o fomento do uso racional, seguro e eficaz do medicamento e das tecnologias de saúde e da adesão à terapêutica, bem como a criação de um ambiente institucional que assegure condições de promoção do investimento e da inovação, a definição de uma metodologia equilibrada de fixação de preços e margens de comercialização dos medicamentos, e um sistema de organização do mercado e das comparticipações públicas que projeta o acesso e as camadas mais desfavorecidas da população.

Assim, e de forma a garantir a previsibilidade e sustentabilidade dos agentes económicos do setor, que assegurem o acesso, a equidade, a qualidade e a segurança do medicamento e do dispositivo médico, as partes reforçam a atitude de colaboração e convergência na defesa e desenvolvimento do sistema de saúde e comprometem-se a envidar todos os esforços em concretizar os princípios estratégicos do compromisso.

Para mais informações, consulte o compromisso: Aqui

Estudo do Institute for Pharmacoeconomic Research (2016)

Um estudo desenvolvido pelo Institute for Pharmaeconomic Research, em 2016, tendo por base os seis maiores mercados europeus (Alemanha, Espanha, França, Holanda, Itália e Reino Unido), revelou que, nestes mercados, cada 1€ investido pelo setor contribui em 2,01€ para a economia nacional, sendo que, por sua vez, cada posto de trabalho criado pelo setor da distribuição resultaria em 1,94 postos de trabalhos na economia nacional, posicionando os Distribuidores Grossistas não só como parceiros de saúde, mas também como parceiros económicos e promotores do desenvolvimento económicos dos países.


Acesso ao Medicamento

A distribuição grossista full liner integra um setor moderno, que contempla um constante investimento humano e financeiro dos seus diferentes intervenientes, aliado a uma progressiva evolução tecnológica dos processos, o que resulta em elevados níveis de eficiência e qualidade de serviço, assegurando uma distribuição diária em todo o território nacional.

Projeto de Dispensa de Medicamentos VIH/SIDA nas Farmácias Comunitárias

O XXI Governo Constitucional definiu, como medida prioritária, a “valorização do papel das farmácias comunitárias enquanto agentes de prestação de cuidados, apostando no desenvolvimento de medidas de apoio à utilização racional do medicamento e aproveitando os seus serviços, em articulação com as unidades do Serviço Nacional de Saúde, para nelas ensaiar a delegação parcial da administração de terapêutica oral em oncologia e doenças transmissíveis”.

Nesse sentido, a dispensa deste tipo de medicamentos nas farmácias comunitárias foi identificada enquanto área potencial de intervenção, no sentido de aumentar a adesão, comodidade e acesso à terapêutica, tendo os Distribuidores por Grosso um papel essencial no projeto-piloto, lançado no dia 1 de dezembro de 2016.

Neste projeto, cada Farmácia Comunitária envolvida seleciona um Distribuidor Grossista para o abastecimento da TARV, sendo que o mesmo garante a entrega dos medicamentos num prazo máximo de 12 horas.

Projeto Via Verde do Medicamento

O projeto Via Verde do Medicamento (VVM) constitui um mecanismo excecional de abastecimento que não deverá representar a forma dominante de abastecimento do mercado, tendo em vista garantir a disponibilidade de medicamentos alvo de falhas de abastecimento no passado.

O funcionamento da VVM está sujeito às relações comerciais existentes entre os stakeholders, sendo os Laboratórios responsáveis pela disponibilidade de produto na VVM através de stock residente nos Grossistas, assegurando estes que os medicamentos são entregues no prazo máximo de 12 horas, após a encomenda pela VVM.

Programa de Substituição Opiácea

O Programa de Substituição Opiácea, por Metadona, destina-se a promover a redução do consumo de heroína por via da sua substituição por metadona, a ser dispensada através de programas de grande acessibilidade, em instalações adequadas para o efeito, fomentando o aumento e regularidade do contacto entre o consumidor e os profissionais de saúde.

A participação das Farmácias é uma mais-valia, aumentando a acessibilidade e promovendo a adesão ao tratamento com a metadona, sendo a intervenção dos Distribuidores Grossistas essencial para o abastecimento contínuo das Farmácias Comunitárias.


Eficiência do circuito

Estudo do Institute for Pharmacoeconomic Research (2016)

Um estudo desenvolvido pelo Institute for Pharmaeconomic Research, em 2016, tendo por base os seis maiores mercados europeus (Alemanha, Espanha, França, Holanda, Itália e Reino Unido), revelou que a distribuição direta entre a Indústria Farmacêutica e as Farmácias representaria uma necessidade 125 vezes superior de transações, quando comparado com o circuito de distribuição clássico, ou seja Indústria Farmacêutica-Distribuidores Grossistas-Farmácias.

Estes dados são demonstrativos da importância do distribuidor grossista full liner e da evolução dos processos logísticos e dos seus elevados níveis de eficiência e qualidade colocados ao serviço da população.

Plataforma de Comunicações

Os Distribuidores Grossistas full liner relacionam-se a montante com a Indústria Farmacêutica e a jusante com as Farmácias Comunitárias.

Assim, revela-se essencial, tendo em vista a eficiência do circuito do medicamento, o desenvolvimento de plataformas de comunicação que permitam a transmissão de informação de forma célere e otimizada, perspetivando ganhos operacionais e financeiros. A ADIFA pretende, assim, promover a revisão dos protocolos de comunicação instituídos, em colaboração com os restantes stakeholders.

Logística Inversa

A logística inversa apresenta diversos desafios e oportunidades de melhoria que devem ser explorados pela ADIFA.

Neste contexto, pretende-se desenvolver a logística inversa, com o objetivo de aumentar a eficiência da cadeia de distribuição e a melhoria dos prazos médios de resolução das devoluções, através da implementação de um sistema transversal, integrado, transparente e simples, possibilitando, ainda, uma redução de custos. Em conjunto com os restantes stakeholders, deverá promover-se a implementação de uma plataforma que assegure a triagem, processamento e respetiva destruição dos medicamentos.


Sustentabilidade ambiental

VALORMED

A VALORMED é uma sociedade sem fins lucrativos que tem a responsabilidade de gestão dos resíduos de embalagens vazias e medicamentos fora de uso, tendo em vista a sua valorização energética e respetiva diminuição da pegada ecológica.

A VALORMED resultou da colaboração entre a Indústria Farmacêutica, Distribuidores Grossistas e Farmácias, em face da sua consciencialização para a especificidade do medicamento enquanto resíduo.

Os membros fundadores da ADIFA têm sido parte ativa do projeto VALORMED.


Saúde Pública

Boas Práticas de Distribuição

As Boas Práticas de Distribuição, representam o principal documento legislativo do setor da distribuição grossista, tendo como objetivo a promoção de um relevante rigor operacional no setor, obrigando os Distribuidores Grossistas a cumprir os seus princípios e normas.

A conformidade com as Boas Práticas de Distribuição assegura a implementação de instrumentos adequados para auxiliar os Distribuidores por Grosso a desenvolverem as suas atividades, a impedir a entrada de medicamentos falsificados na cadeia de abastecimento legal, a assegurar o controlo da cadeia de distribuição e, consequentemente, manter a qualidade e integridade dos medicamentos.

A ADIFA pretende promover a aplicação e desenvolvimento das Boas Práticas de Distribuição.

Programa Troca de Seringas

A valorização das farmácias comunitárias enquanto agentes de prestação de cuidados, apostando no desenvolvimento de medidas de apoio à utilização mais adequada e custo-efetiva das várias tecnologias de saúde, e consequente contratualização pelo Ministério da Saúde da prestação de serviços de intervenção em saúde pública enquadrados nas prioridades da política de saúde, entre os quais programas integrados com os cuidados de saúde primários, a colaboração na avaliação das tecnologias da saúde, a troca de seringas e a monitorização da adesão dos doentes à terapêutica, pressupõe uma integração e colaboração ativa dos distribuidores grossistas full liner nestes serviços de valor acrescentado para o Sistema de Saúde.

Com efeito, a Portaria 301-A/2016, de 30 de novembro, que surge no seguimento da evidência da custo-efetividade do Programa Troca de Seringas (PTS), reconhece a mais-valia do aumento do número de pontos de troca de seringas através da participação das Farmácias com a colaboração dos Distribuidores Grossistas, instituindo uma remuneração pelo serviço, a ser atribuído às Farmácias e Distribuidores Grossistas.

Para além do Programa Troca de Seringas, a ADIFA pretende reforçar a importância e disponibilidade dos seus Membros para a participação e dinamização de novos serviços de valor acrescentado para a saúde pública.

MVO Portugal - Associação Portuguesa de Verificação de Medicamentos

A Diretiva sobre Medicamentos Falsificados (Diretiva 2011/62, de 8 de junho de 2011) pretende introduzir dispositivos de segurança harmonizados e obrigatórios a nível europeu, sob a forma de dispositivos de prevenção de adulteração e de um identificador único como parte da embalagem exterior dos medicamentos sujeitos a receita médica, tendo como objetivo impedir a introdução de medicamentos falsificados na cadeia de abastecimento legal e, em última análise, que estes cheguem aos doentes.

A este propósito, e reconhecendo a relevância desta temática para a Saúde Pública, a ADIFA tem vindo a participar ativamente na discussão da mesma com os vários stakeholders do circuito do medicamento, tendo em vista a criação da Associação que terá por objeto a criação e gestão de um sistema nacional de repositório de informações sobre os dispositivos de segurança contidos em medicamentos que permita verificar a sua autenticidade e identifica-los.

A nível Europeu, o projeto é gerido pela European Medicines Verification Organisation (EMVO). Para mais informações da EMVO consulte aqui.

© 2018 ADIFA - ASSOCIAÇÃO DE DISTRIBUIDORES FARMACÊUTICOS. Todos os direitos reservados